livraria on-line

bibliographias@gmail.com / 934476529

.

.

16 de novembro de 2015

Eis o poeta.

Eis o poeta. Phantasmas, sombras, vultos do Alem, espectros do Passado, toda a sua alma evoca-nos vividos silencios da sua aldeia, e o que era sombra torna-se realidade, o que era phantasma corporisa-se, e até as vagas chimeras que deambulam nas tristezas outoniças do Tamega, criam formas e são realisações.

(João Paulo Freire, «Terra Prohibida e Regresso ao Paraiso»)