livraria on-line

bibliographias

bibliographias@gmail.com / 934476529

.

.

23 de março de 2019

João Paulo Freire — O Aldrabão Pimenta e a sua «História»

O Aldrabão Pimenta e a sua «História» (Análise contundente às parvoíces insanáveis dum – magalómano mental –)   

Edição do Autor. (Comp. e imp. na Imprensa Lucas & C.ª – Lisboa). 3 vols. in-4º de 60; 75, [1]; e 86, [2] págs. Br.

“Cá o temos! Aos saltos, às upas, em cabriolas de palhaço, é vê-lo a espolinhar-se como javardo nas 568 páginas duns pseudo Elementos de História de Portugal.
Que elementos! Que História! Nemo dat quod non habeo, ninguém dá o que não possui, e é bem certo. Há de tudo, neste calhamaço, menos probidade e vergonha”, assim começava o jornalista a sua apresentação a este exercício que faz o Manifesto Anti-Dantas, de Almada, quase parecer meigo, e que por alguma razão publicou em edição de autor: ou para poupar editores, ou porque eles próprios se quiseram precaver contra consequências como processos penais...
Embora seja o único por inaugurar, conservando ainda os cadernos por abrir, o primeiro volume é o que se apresenta em pior estado, com a frente da capa manchada (exposição à luz solar) e pequenos rasgões junto ao encaixe, mal de que também padece o terceiro.
 
25€

22 de março de 2019

João Paulo Freire — Alcácer-Kivir !

Alcacer-Kivir !  (Apontamentos historicos sobre a acção da Hespanha antes do dominio dos Filippes)

1928 – Parceria Antonio Maria Pereira, livraria editora (Rua Augusta – 44 a 54), Lisboa. In-8º de 128, [2] págs. Enc.

Livro de “apenas ligeiros apontamentos, cuidadosamente rebuscados nos escriptores coévos d’esse tremendo desastre nacional, e que se colligem hoje para os que por estas coisas se interessam, sem tempo para grandes estudos”.
Exemplar recoberto de uma boa encadernação recente com lombada gravada a ouro e pastas marmoreadas; conservando ambas as faces da capa de publicação.
 
22€

21 de março de 2019

João Paulo Freire — Fogos-Fátuos

Edição de «A Renascença Portuguesa», Pôrto – 1925. In-8º de 173, [3] págs. Br.

Volume dedicado “à memória sagrada de António Granjo, ao mais infeliz dos homens honrados desta terra e ao mais leal dos amigos” (de quem aliás faz a reportagem do funeral com milhares de pessoas, em Chaves, após «A Noite Sangrenta», e no qual entre outros Leonardo Coimbra improvisou um discurso que também «Mário» diz ter sido impressionante); e justamente a Leonardo, “ao mais extraordinário e mais brilhante talento da minha geração”. Recolhe os textos publicados no jornal lisboeta A Imprensa da Manhã, dividindo-os aqui pelas duas secções «Alguns problemas nacionais à margem... da política» e «Documentos para a história do movimento revolucionário do «19 de Outubro»».
O exemplar tem no rosto o carimbo da livraria de Pedro Dias, de Lagos.

15€

19 de março de 2019

António Cabral — Homens e Episódios Inolvidáveis

Homens e Episódios Inolvidáveis (Cartas Inéditas de Camilo/O Berço de Eça/Páginas de Memórias Políticas)

Livraria Bertrand. Lisboa. (1947). In-8º de 218 págs. Br.

O volume inclui os capítulos «Camilo e Eça de Queirós», «Algumas páginas de Memórias Políticas», «Cartas régias», «Páginas tristes», «Páginas alegres» e «Quatro prefácios».

Exemplar em muito bom estado, talvez por estrear, conservando ainda o papel praticamente limpo.

17€

António Cabral — Homens e Episódios Inolvidáveis

Homens e Episódios Inolvidáveis (Cartas Inéditas de Camilo/O Berço de Eça/Páginas de Memórias Políticas)

Livraria Bertrand. Lisboa. (1947). In-8º de 218 págs. Enc.

Outro exemplar, este revestido de muito boa encadernação, conservando ambas as faces da capa de brochura (um tanto manchada na frente) 


25€

18 de março de 2019

António Cabral — Cartas d’El-Rei D. Manuel II

Cartas d’El-Rei D. Manuel II (O Homem, o Rei, o Portuguez / - Notícias e revelações / - Memorias Politicas)

Livraria Popular de Francisco Franco —  Lisboa – 1933. In-8º de 378, [6] págs. Br.

Uma primeira parte do volume cumpre-lhe o subtítulo, compondo-se de apontamentos do próprio António Cabral; seguindo-se o repositório das várias cartas do bibliófilo e melancólico monarca a uma dezena de destinatários, entre eles José Luciano de Castro, José Maria Rodrigues, o organizador do volume e o seu pai, Alexandre Cabral.
 
15€

14 de março de 2019

Amorim de Carvalho — O Positivismo Metafísico de Sampaio Bruno

O Positivismo Metafísico de Sampaio Bruno (As influências de Comte e Hartmann / Crítica e reflexões filosóficas)

Sociedade de Expansão Cultural / Lisboa – 1960. In-8º de 313, [7] págs. Br.

O ensaio foi dividido nas grandes secções de capítulos «Sampaio Bruno e Augusto Comte», «Sampaio Bruno e Eduardo de Hartmann» e «O Misticismo Verbal e Prelógico no Positivismo de Bruno».
 
10€ 

13 de março de 2019

Amorim de Carvalho — Guerra Junqueiro e a sua Obra Poética

Guerra Junqueiro e a sua Obra Poética (análise crítica)

1945 / Livraria Figueirinhas – Pôrto. In-8º gr. de 325, [3] págs. Br.

“A crítica literária portuguesa quási se tem cingido, eruditamente, à investigação das fontes, à exegese e à biografia. Poucos ou breves são os juízos de avaliação estética, e êstes, ainda assim, mais pessoais e impressionistas do que objectivos e gerais”, assim apresentava o autor o seu propósito na nota de abertura. Num total de dezoito, foram alguns dos capítulos «O Romantismo e o Realismo de Junqueiro», «A formação poética de Junqueiro desde as influências de Soares de Passos», «A sátira e a caricatura na poesia de Junqueiro», «A versificação de Junqueiro», «O Simbolismo», «Guerra Junqueiro e António Nobre», etc.
 
15€      

12 de março de 2019

Lopes de Oliveira — Memórias: Guerra Junqueiro

Editorial Cosmos, Lisboa. (1938). In-8º de 275, [3] págs. Br.

Escritas com um fervor quase religioso pela figura do amigo mais velho – dele garantia o autor, na introdução, ser o único grande continuador de Camões, acima de Bocage, Garrett e Antero –, as «Memórias» interessam principalmente pelo que contam dos anos próximos, antecedentes e sequentes, da implantação da República, sendo a esse período dedicada a maior parte do volume (que inclui, em folhas destacadas, vários retratos de Junqueiro).

Exemplar com algum desgaste exterior, parcialmente desconjuntado, mas em boa condição no miolo.

18€

11 de março de 2019

Lopes de Oliveira — História da República Portuguesa

História da República Portuguesa: a Propaganda na Monarquia Constitucional

Editorial Inquérito Limitada, Lisboa. (1947). In-8º gr. de 384, [4] págs. Enc.
 
O período em análise começa na conspiração de 1817 e na revolução de 1820 – espécie de prêt-a-porter que alastrou “imediatamente a todo o país” sem grandes complicações, não se mencionando sequer, coisa notável, o posterior cerco do Porto; estes historiadores lisboetas... – e termina na fase revolucionária de inícios do séc.XX.

Exemplar revestido de muito boa encadernação que conserva ambas as faces da capa primitiva.
 
25€

9 de março de 2019

Carlos Malheiro Dias — Pensadores Brasileiros (pequena antologia)

Lisboa: Livraria Bertrand (73, Rua Garrett, 75). [S/d – Pref. 1934]. In-8º de 154, [2] págs. Br.

Depois de um longo prefácio do próprio Malheiro Dias, o livro dedica capítulos a Gilberto Amado, Ronald de Carvalho (a quem o volume é dedicado), Baptista Pereira, Azevedo Amaral, Gilberto Freire (de quem temos várias edições originais), Tristão de Ataíde e Plínio Salgado (idem aspas).
Bom exemplar, ainda por estrear – conserva a totalidade dos cadernos por abrir. Ligeiro desgaste exterior; selo da «Livraria Universitária (Livros de todo o mundo)» no Campo Grande em Lisboa; discreta assinatura de propriedade na primeira folha (de anterrosto), datada de 1963.
 
14€ 

8 de março de 2019

Carlos Malheiro Dias — O «Piedoso» e O «Desejado»

Lisboa: Portugal-Brasil (sociedade editora / Arthur Brandão & C.ª) – 1925. In-8º de [VI], 178, [VI] págs. Br.

Edição impressa a duas cores e castiçamente ilustrada em letras capitais, vinhetas e ornamentos gráficos vários. Conforme o título insinua, um dos ensaios é dedicado a um menos popular D. João III e o outro a um bastante mais batido D. Sebastião – que, para os monárquicos portugueses como o autor, é duplamente simbólico: tal como a monarquia, desapareceu.

Belo exemplar, tendo como único defeito significativo pequenas manchas no pé da capa, na frente.

18€

7 de março de 2019

Carlos Malheiro Dias — Zona de Tufões

Zona de Tufões, por (...) / (Da Academia de Sciencias de Lisboa e da Academia Brasileira de Lettras)

Aillaud, Alves & Cia | Francisco Alves & Cia – 1912. In-8º de 591, [7] págs. Br.

Numa nota preliminar, anunciava este monárquico (em comparação) reconhecidamente civilizado e tolerante, mas que como quase todos nunca chegou a conseguir aceitar a República, constituir o volume um “índice, embora prolixo [pôr prolixo nisso, sobretudo na prosa...], dos successos politicos incluidos no periodo que decorre desde a incursão monarchica de Outubro (1911) até a catastrophe sinistra de Miragaya, que consideramos como o corolario do desvario nacional n’estas sombrias paginas narrado”.
O exemplar conserva a curiosa e penitente tarja aposta sobre o anterrosto “Este livro deveria ter sahido em Outubro de 1912, mas um desarranjo de machina tendo inutilisado grande parte da composição, os editores tiveram de recomeçar todo o trabalho, motivo pelo qual esse é posto em venda com quatro mezes de atrazo”.

18€

6 de março de 2019

Carlos Malheiro Dias — Entre Precipicios...

Entre Precipicios... (Na capa: Chronicas politicas dos ultimos tempos)

Lisboa: Empresa Lusitana Editora (Calçada do Ferregial 23). In-8º de 335, [1] págs. Enc.

Conjunto de XXIV capítulos todos no mesmo género, bastando para ter uma ideia o elenco do primeiro e do último: «A hora que passa – O erro republicano – Suas causas e suas consequencias – A anarchia portugueza – Vulcão em actividade»; «A cella de uma prisioneira – A neta de Vasco da Gama no Aljube – Uma santa do seculo XX – A mãe de setecentas creanças pobres». Não estando datada, a capa indica tratar-se da segunda edição, sendo de crer que só ela e a folha de rosto divirjam da original (1913).
Exemplar encadernado em percalina conservando a referida capa de brochura.
 
12€

4 de março de 2019

As Constituintes de 1911 e os seus Deputados

As Constituintes de 1911 e os seus Deputados (Obra compilada e dirigida por um antigo official da Secretaria do Parlamento)

1911 – Livraria Ferreira (Ferreira, L.da, Editores / 132, R. Aurea, 138), Lisboa. In-8º de 541, [3] págs. Br.
 
“Nos principais paizes e em cada legislatura são publicadas, official ou particularmente, e sob diversos titulos obras no genero da que, pela primeira vez, agora apparece em Portugal contendo os retratos e notas biographicas dos membros do Parlamento. (...) Aproveitando a circumstancia de ser a actual Camara muito numerosa e de importancia historica pela missão que lhe esteve confiada, damos n’esta obra, sob o titulo de As Constituintes de 1911 e os seus Deputados, não só os retratos de todos os membros das Constituintes, que hoje compõem o primeiro Senado e a primeira camara dos deputados da Republica, como tambem varias notas interessantes e uma resenha dos principais factos occorridos na Assembleia Nacional, desde a sua abertura, em 19 de Junho de 1911, até ás eleições do Presidente da Republica e do Senado, com as quaes, nos ultimos dias de agosto do mesmo anno, findaram os seus trabalhos”. (Da introdução «Ao Leitor»).
Não estando atribuída no volume a autoria, corre que o "antigo official" em causa foi o escritor Alberto Pimentel.
 
45€

2 de março de 2019

Alberto Pimentel ― Sem passar a fronteira

1902 / Livraria Central de Gomes de Carvalho, editor (158, Rua da Prata, 160) / Lisboa. In-8º de 344 págs. Enc.

Edição original de um dos mais apreciados livros do escritor, que terminava assim o seu prefácio: “Hoje é muito commodo e recreativo viajar sem dardo. / Por isso vae toda a gente ao extrangeiro, d’onde nos traz impressões, aventuras, e não sei se fábulas. / É preciso que fique alguem para fallar do nosso paiz. Tenho ficado eu, a tomar conta n’elle, mais que os governos. / E este livro, em que resumo lembranças de varias epocas, falla de Portugal, o que plenamente justifica o titulo com que o baptisei.”
Os capítulos foram divididos nas secções principais «Ribatejo» (2), «Cascaes» (5), «A Cigarra», «O Termo de Lisboa», «Mafra» (4), «Cartas da Ericeira», «Aveiro», «Espinho» (7), «Mattosinhos e Leça» (5), «Cartas do Minho» (8), «Fataunços» e «Guarda».

Exemplar guarnecido de uma primorosa encadernação com cantos e lombada em pele embutida a ouro, tendo sobre as pastas aplicações trabalhadas em relevo; com o único senão de lhe ter sido suprimida a capa original. Pertenceu ao padre Roque do Nascimento, de quem ostenta a assinatura no frontispício e o carimbo a seco na folha seguinte.

35€

1 de março de 2019

Alberto Pimentel ― A Princeza de Boivão

A Princeza de Boivão: Romance original

Lisboa: Typ. da Companhia Nacional Editora. 1897. In-8º de 322 págs. Enc.

Primeira edição, já consideravelmente invulgar, publicada com uma dedicatória impressa «Aos Portuguezes no Brazil/Testemunho de reconhecimento da Mala da Europa». O romance, dos mais conseguidos de Pimentel, tem como pano de fundo as terras de Alto-Minho, em particular a bonita e verdejante zona de Boivão, Valença.

Exemplar protegido por uma razoável encadernação com lombada em pele – já um tanto descorada – gravada a ouro; não conservando a capa de brochura. Em bom estado no miolo, mantendo-se ainda as folhas de modo geral limpas, só algumas pontuadas por marcas de acidez.
 
23€

28 de fevereiro de 2019

Alberto Pimentel ― O melhor casamento

O melhor casamento (romance)

Livraria Editora Guimarães & C.ª. Lisboa. [S/d - 1921?]. In-8º de 254, [2] págs. Enc.

Primeira edição, dedicada à memória do escritor Julio Cesar Machado, “Principe dos folhetinistas portugueses”.
 
Exemplar revestido de encadernação com lombada em percalina gravada a ouro; conservando a frente da capa de brochura. Em muito bom estado, com as folhas ainda praticamente limpas.

18€

27 de fevereiro de 2019

Alberto Pimentel ― Do portal á claraboia

Do portal á claraboia (2.ª edição revista pelo auctor)

1913 / Guimarães & C.ª – Editores, Lisboa. In-8º de 175, [1] págs. Br.

Reedição já tardia de um livro originalmente publicado em 1873, marco da bibliografia portuense, “Porque é um intimo prazer dos velhos reviver o passado pela recordação e pela saudade. Porque este livro fala da minha terra, dos melhores anos da minha vida, da primavera do meu lar, fala de tudo quanto eu primeiro amei e amo ainda”. Um dos não muitos títulos portugueses dados a lume na principalmente estrangeira colecção «Horas de Leitura».
Bom exemplar, sem defeitos de maior a referir. 

17€

26 de fevereiro de 2019

Alberto Pimentel ― O Arco de Vandoma

O Arco de Vandoma (romance)

1916 / Guimarães & C.ª – Editores, Lisboa. In-8º de 344, [2] págs. Br.

Edição original deste livro sobre a vida portuense, tendo por capítulos, entre muitos outros sem directa referência toponímica, «Espinhos da rua das Flores», «Sarau musical no Paço do Bispo», «Uma cavaqueira de rapazes no café Guichard», «No Bom Jesus do Monte» e «Ruínas pressagas do Arco de Vandôma».

Exemplar razoável, com algum desgaste da capa e discreta assinatura de propriedade na folha inicial, de anterrosto.
 
20€

25 de fevereiro de 2019

Alberto Pimentel ― O Arco de Vandoma

O Arco de Vandoma (romance)

1945 / Livraria Figueirinhas – Pôrto. In-8º de 417, [3] págs. Br.

Segundo título publicado na conhecida colecção popular da portuense Figueirinhas que reeditou os portuenses Alberto Pimentel e Arnaldo Gama.
Bom exemplar.

8€

Alberto Pimentel ― O Pôrto por Fora e por Dentro

1945 / Livraria Figueirinhas – Pôrto. In-8º de 277, [3] págs. Br.

“Reedição popular de algumas das principais obras de Alberto Pimentel / Edição revista por seu filho Dr. Alberto Pimentel, Filho” – sendo este o terceiro título publicado.
Exemplar bem conservado, apenas com pequenos picos de acidez.
 
8€

15 de fevereiro de 2019

Album Litterario e Artistico Folhas d’Ouro

Album Litterario e Artistico Folhas d’Ouro (gentilmente collaborado por Escriptores e Artistas Portuguezes). (Na capa: “O producto total da venda reverte a favor do Sanatorio para Empregados Tuberculosos dos Caminhos de Ferro do Estado”).

Lisboa, MCMXVII ― Typ. dos Caminhos de Ferro do Estado. In-4º de 355, [3] págs. Br.

Colaboração de, entre muitíssimos outros, Afonso Lopes Vieira, Alberto Pimentel, Alberto de Monsaraz, Alfredo Pimenta, Ana de Castro Osório, António Cândido, António Correia de Oliveira, Augusto Gil, Augusto Santa-Rita, Aires Ornelas, Branca de Gonta Colaço, Cândido de Figueiredo, Conde de Sabugosa, Eugénio de Castro, Guerra Junqueiro, Lopes de Mendonça, Leite de Vasconcelos, Magalhães Lima, Joaquim Leitão, José Caldas, Júlio Brandão, Júlio Dantas, Luís de Magalhães, Manuel de Arriaga, Maria Amália Vaz de Carvalho, Mário Beirão, Martinho da Fonseca, Mayer Garção, Ricardo Jorge, Sousa Costa, Teixeira de Pascoaes, Teixeira de Queirós, Vicente Arnoso, Virgínia de Castro Almeida e Visconde de Vila-Moura. O volume, impresso sobre bom papel de linho com a brochura gravada a ouro e a mancha a várias cores, foi ilustrado por zincogravura a partir de trabalhos de, por exemplo, Afonso Dornelas, Carlos Reis, Helena Roque-Gameiro, Veloso Salgado, João Vaz, José Malhoa, Roque Gameiro, Teixeira Lopes, etc.

Exemplar ainda valorizado por dedicatória de oferta manuscrita pelo organizador, Carlos de Vasconcelos Porto, ao “distincto compositor” João  Ramires; tendo o n.º645 de uma tiragem (talvez de mil, dada a relativa raridade da peça) não indicada; ligeiramente aparado à cabeça, conserva as restantes margens conforme saíram do prelo.
 
60€  

14 de fevereiro de 2019

Branca de Gonta Colaço — Poetas d'Hontem

Poetas d'Hontem (Conferencia realisada na sede da Liga Naval, na tarde de 22 de Maio de 1914.)

Lisboa: Typographia Castro Irmão, 1915. In-4º de 85, [3] págs. Enc.
 
“O pensamento que suggeriu e dictou as linhas dos Poetas d'Hontem, foi o desejo de juntar n'um circulo intellectual o maior numero dos poetas que viveram no tempo de Thomaz Ribeiro” (o pai de Branca). Ao texto da conferência, que reproduz algumas composições dos escritores aludidos e recenseia muitos dos respectivos títulos, acrescenta esta publicação em volume uma espécie de dicionário de autores, disposto por ordem alfabética, com indicações bio-bibliográficas, algumas de particular utilidade – ou por darem conta de nomes hoje positivamente ignorados, ou por apontamentos menos conhecidos relativos aos que o não são. No final, transcreve-se «O Douro», de Serpa Pimentel – poemeto a que é feita referência no princípio do texto –, cuja  impressão original fôra encomendada por Alberto Pimentel à Magalhães e Moniz num pequeno opúsculo que era, já então, muito raro.

Edição especial limitada a 525 exemplares numerados, sendo este o nº 408, da série em papel vergé nacional, e revestido de uma boa encadernação – com lombada e cantos em pele gravada a ouro, preservada por inteiro a capa de brochura (que tem também aplicações a ouro); apresenta uma dedicatória de oferta manuscrita pela autora à Biblioteca Imperial de São Petersburgo, a que não deverá porém ter chegado.
 
35€

12 de fevereiro de 2019

Álvaro J. da Costa Pimpão — Gente Grada

Gente Grada (Almeida Garrett / Latino Coelho / Antero do Quental / Eça de Queirós / Guerra Junqueiro / João de Deus / Eugénio de Castro)

Coimbra – MCMLII. (Composto e impresso na Tipografia da Atlântida). In-8º de 201, [3] págs. Br.

Reunem-se neste voluminho, por obséquio da livraria Atlântida, algumas das conferências e discursos que em várias ocasiões e lugares pronunciámos”, acrescentados de dois ou três artigos “pela matéria associáveis”, assim apresentava o autor o livro – que não tem sete capítulos, mas onze: Antero, Eça, Junqueiro e Eugénio de Castro tiveram direito a dose dupla.

Exemplar valorizado por dedicatória de oferta manuscrita e autografada pelo próprio professor coimbrão na folha de anterrosto; conservando-se apesar disso ainda por estrear, com os cadernos por abrir; selo da portuense Livraria Manuel Ferreira aposto.

20€